believe in you
Mariana Vale. Porto, Portugal.
Com o meu pai eu aprendi a ser gente. E a entender e aceitar que as pessoas são diferentes e precisam se respeitar. E que nem todo mundo tem que ter o mesmo gosto. E que nem sempre o jeito que alguém diz que te ama é o mesmo jeito que você fala e demonstra que ama. E que o mundo é grande demais, por isso a gente tem que correr. E que sempre vai existir alguém mais bonito e mais inteligente que você, assim como sempre vai existir um mais burro e mais feio. E que um abraço fala muito mais do que um monte de palavras. Eu acho que a gente precisa do pai quando é pequeno e depois que cresce. A gente precisa do pai até mesmo depois que ele morre. Mesmo longe, no céu dos pais, eles nos ensinam de alguma forma. Pai é uma figura eterna. E que nunca vai ser substituída. Por ninguém nesse mundo.
Clarissa Corrêa.  (via delator)
Por você eu faria tudo de novo, te amaria muito mais dessa vez, não deixaria nunca que alguém ousasse te machucar. Não deixaria que ninguém mais te tocasse a não ser eu mesmo. Eu me moldaria, mudaria meu jeito de ser, até mesmo deixaria meus objetivos e sonhos de canto por você. Por que pra mim é assim, quando é amor a gente tem que se entregar completamente. E foi assim que aconteceu. Eu me entreguei, me entreguei de uma forma como nunca me entreguei a outra pessoa. E agora to aqui, com palavras sem sentido, tentando te dizer, que por você eu apostaria todas as minhas fichas novamente.
Por você eu faria tudo de novo.
(via delator)